Anomalias ou o ateu embrionário

Hoje, a propósito de qualquer coisa sem importância, recordei-me de que há uns anos atrás escrevi pela primeira vez publicamente sobre o meu ateísmo no fórum do site Anomalies Network. Tinha-me sido recomendado aquele fórum por causa de uma suposta polémica que decorria então (2003) online sobre um viajante do tempo, um tal de John Titor. Recordo-me que na altura dei uma “voltinha” pelo fórum e fiquei de tal forma chocado com os disparates na secção de religião (estávamos ainda no rescaldo do 11 de Setembro com tudo o que isso implicava) que resolvi intervir.

Por mera curiosidade, deixo aqui o link e a cópia desse meu primeiro contributo, ainda que isolado, pois apenas comecei a escrever regularmente sobre ateísmo em 2006. Não sei se devo encarar de forma positiva ou não o facto de me parecer que voltaria a dizer quase tudo da mesma forma. Sobretudo, ao longo destes anos, tenho tentado reflectir sobre estas matérias; se essa reflexão comprovar que não estava errado quando comecei, tanto melhor.

I’ve been impressed by some ideas expressed in the pages of this forum. For me it’s very hard to understand how anyone from western countries with access to education and information can, quite often, sound more obtuse and fundamentalist about religion than people from SOME muslin countries that live on non-democratic regimes, with no access to free media and with their law systems limited by a book wrote centuries ago.
For once in your life, can’t you consider that the differences in ALL the religions are just in the form political power puts them to their own use, depending on the historical circumstances?
I doubt all and every country that has any kind of religion reference in their Constitution. No matter what good intentions may hide behind that fact, it can always be used for doubtful objectives.

Leaving religiosity to the churches, the sheppards and, most important, to each one consciousness is a sympton of maturity. That’s the only way that the respect of the religion itself can be achieved, without putting it to use only when it’s convenient.

There’s no such thing as a better religion. I believe religion should be there only to provide the believers with spiritual support, helping them to find strengths. Not everyone needs that kind of support and even those who need it might need it in many different ways.

Understanding the causes of the differences is a much bigger step than pointing the divergences.

So help you… intelligence.

Actualmente apenas seria um pouco menos delicado… É que com o passar dos anos, há coisas para as quais a paciência tem mesmo limites!

Partilha!

    3 comentários em “Anomalias ou o ateu embrionário

    1. Acho uma boa resposta na verdade, embora só pareça lógica a ateus.
      Quase todos os religiosos com quem já discuti, não iam considerar essa resposta.
      “I beli­eve reli­gion should be there only to pro­vide the beli­e­vers with spi­ri­tual sup­port, hel­ping them to find strengths. Not everyone needs that kind of sup­port and even those who need it might need it in many dif­fe­rent ways.”
      Qualquer um deles responderia a isto que religião é para “mostrar o caminho à salvação” ou coisa do género..
      É preciso estar fora de religião para ver religião nestes termos..
      Mas que se pode fazer? Eles não pensam :/

    2. A qual 11 de setembro te referes? O11 de setembro de 1973 ou o 11 de setembro de torres gêmeas?

    Deixar uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *